14 de Junho de 2012

Report: notícias

Rio+20 pode ser a maior conferência da ONU

Começou nesta quarta-feira (13/6) aquela que deve ser a maior conferência já realizada pela ONU, com mais de 50 mil participantes em 10 dias de evento. A Rio+20 abriu oficialmente suas atividades com os encontros preparatórios que reúnem, até amanhã (15/6), representantes de governos e organizações da sociedade civil para concluir o documento político da conferência, chamado O Futuro que Queremos.

O objetivo é chegar a um acordo para promover a cooperação internacional e propor ações que considerem os aspectos sociais e ambientais nos processos de tomada de decisão de governos, empresas e da própria sociedade em geral.

A presidente Dilma Rousseff abriu a conferência cobrando compromisso dos países. "O ambiente não é um adereço, faz parte da visão de incluir e crescer porque em todas elas nós queremos que esteja incluído o sentido de preservar e conservar", disse a presidente no discurso de abertura.

Em referência aos três pilares (ambiental, social e econômico), ela declarou que “temos clareza que a questão da inclusão social, ou seja, da distribuição de riqueza para as pessoas é elemento crucial de qualquer política econômica, de qualquer tempo. E isso também diz respeito à questão do meio ambiente”.   

O outro grande nome do dia foi o do secretário-geral da Rio+20, Sha Zukang. Em entrevista coletiva, ele afirmou que a Rio+20 é um evento histórico. “Isso fica evidente quando vemos o número total de participantes, o alto nível de compromisso dos representantes da sociedade civil – os Major Groups -, a dedicação do país anfitrião, a seriedade das negociações e os temas que estão sendo discutidos. O mundo está nos olhando e não podemos decepcioná-lo”, enfatizou Zukang. Nesta mesma ocasião, o Embaixador Luiz Figueiredo Machado destacou que é preciso ir além da Rio92. “Agora é hora de fazer mais do que fizemos antes. Temos os instrumentos para que possamos agir e esta é uma Conferência dedicada a ações”, disse ele.